sexta-feira, 5 de agosto de 2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Estou em Contagem

O mês de Julho foi o mês pós-escola de missões, que maravilha! Após o término do período de estudos voltei para minha casa em Luz/MG para passar um tempo com a família e amigos, antes de ir para Angola.
Fiz algumas viagens a algumas igrejas de pastores amigos. Foram momentos maravilhosos, estou muito feliz e grato a DEUS.
Estou em oração, orando e agindo para que em DEUS eu consiga intercessores e mantenedores para dar seqüência aos sonhos de DEUS, ao ministério que ELE me incumbiu de cumprir e honrosamente, mesmo sem merecer tento cumpri-lo.
Obrigado aos pastores(as): José Donizete, Johny, Wanderley, Nilton, Elias, Mirian.



Agora estou em Contagem (na verdade Nova Contagem no bairro Retiro), estejam orando pela minha vida e pelo PES(PALAVRA - Educação - Saúde). Que o ETERNO abra seus portais celestes sobre nossas vidas!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Mês de Julho e agora vamos viajar...


Olá pessoal!

O mês de Julho foi uma delícia! Comi muito pão de queijo, fiquei pertinho de meus pais e visitei algumas igrejas!
Agradeço a todos os irmãos que me receberam muito bem e os que estiveram orando e apoiando monetariamente. Obrigado a todos vocês que são presentes e benção de DEUS para minha vida!

Amanhã estarei viajando para Contagem para casa do pr. Gerson (presidente do ministério CCV Umaná).

Estarei enviando o relatório do mês de Julho o mais rápido possível!

Abração para todos, e a paz do ETERNO esteja sobre os irmãos!

O pão diário e o pão que armazenamos


O pão de cada dia (Mt 6.11)
1. Vida diária de entrega e busca de DEUS.
Temos muita das vezes a presunção de acharmos que sem o alimento diário do pão que é JESUS e a PALAVRA de DEUS, vamos sobreviver, vamos resistir às provações, tentações, etc...
Assim quando não comemos o alimento físico ficamos fracos e podemos até chegar à morte, assim também é com o alimento espiritual!
Sem uma vida diária com DEUS não resistiremos à tentação de falar mal nosso patrão quando ele pisar no nosso calo, não resistirá com facilidade à tentação de alguém do sexo oposto que nos atrai, etc...
2. Confissão e arrependimento em todo tempo, diário.
Exista alguém que não tenha pecado? Será que eu ou você não pecamos todos os dias?
Achamos que muitas vezes pelo fato de pecarmos em pensamento somos melhores do que as pessoas que pecam em atitudes, mas não somos.
Se pecamos todos os dias, precisamos nos arrepender todos os dias, confessar a DEUS e se preciso for para sermos curados, confessarmos a alguém que confiamos em DEUS!

O pão lançado as águas, o pão acumulativo (Ecl 11.1)
1. Unção, compreensão do ministério e chamado, sabedoria para obra de DEUS.
DEUS nos mostra de forma acumulativa o desejo dele para nossa vida como seus servos, como obreiros de sua maravilhosa obra. Hoje ELE nos pede algo, amanhã outra coisa, de forma que se acumula como um quebra-cabeça para chegar a um objetivo final.
ELE nos capacita na sua obra cada vez mais, hoje temos um dom, amanhã buscando-O teremos mais, aprenderemos mais, e assim segue...
O pecado não revoga os dons de DEUS, só DEUS pode revogar os dons que ELE nos dá, pelo motivo que ELE achar melhor!
2. Maturidade. “Aquele que começou a boa obra a de terminar”
A maturidade cristã não é algo que volta ao início pelas nossas falhas e pecados, pelo contrário, aprendemos sempre mais se nos dispusermos irmos ao pés de DEUS. Davi em sua constante humilhação é um exemplo de um crescimento acumulativo de maturidade em DEUS.
3. O pão ruim que se armazena – ciclos viciosos de pecado, amargura que nos aparta da graça de DEUS.
Muitas vezes vamos cuidando de situações pecaminosas em nossas vidas como se fossem bichinhos de estimação, então pecamos hoje, depois de um tempo de novo, entramos então em ciclos viciosos de pecados.
Temos que nos alimentar do pão da vida e não daquilo que nos faz mal, pois se entramos nesses ciclos corremos o perigo de deixar raízes de amargura brotar em nós e nos apartarem da graça de DEUS.
(Hb 12.15)

O pão diário e o pão que armazenamos

O pão de cada dia (Mt 6.11)
1. Vida diária de entrega e bisca de DEUS.
Temos muita das vezes a presunção de acharmos que sem o alimento diário do pão que é JESUS e a PALAVRA de DEUS, vamos sobreviver, vamos resistir às provações, tentações, etc...
Assim quando não comemos o alimento físico ficamos fracos e podemos até chegar à morte, assim também é com o alimento espiritual!
Sem uma vida diária com DEUS não resistiremos à tentação de falar mal nosso patrão quando ele pisar no nosso calo, não resistirá com facilidade à tentação de alguém do sexo oposto que nos atrai, etc...
2. Confissão e arrependimento em todo tempo, diário.
Exista alguém que não tenha pecado? Será que eu ou você não pecamos todos os dias?
Achamos que muitas vezes pelo fato de pecarmos em pensamento somos melhores do que as pessoas que pecam em atitudes, mas não somos.
Se pecamos todos os dias, precisamos nos arrepender todos os dias, confessar a DEUS e se preciso for para sermos curados, confessarmos a alguém que confiamos em DEUS!

O pão lançado as águas, o pão acumulativo (Ecl 11.1)
1. Unção, compreensão do ministério e chamado, sabedoria para obra de DEUS.
DEUS nos mostra de forma acumulativa o desejo dele para nossa vida como seus servos, como obreiros de sua maravilhosa obra. Hoje ELE nos pede algo, amanhã outra coisa, de forma que se acumula como um quebra-cabeça para chegar a um objetivo final.
ELE nos capacita na sua obra cada vez mais, hoje temos um dom, amanhã buscando-O teremos mais, aprenderemos mais, e assim segue...
O pecado não revoga os dons de DEUS, só DEUS pode revogar os dons que ELE nos dá, pelo motivo que ELE achar melhor!
2. Maturidade. “Aquele que começou a boa obra a de terminar”
A maturidade cristã não é algo que volta ao início pelas nossas falhas e pecados, pelo contrário, aprendemos sempre mais se nos dispusermos irmos ao pés de DEUS. Davi em sua constante humilhação é um exemplo de um crescimento acumulativo de maturidade em DEUS.
3. O pão ruim que se armazena – ciclos viciosos de pecado, amargura que nos aparta da graça de DEUS.
Muitas vezes vamos cuidando de situações pecaminosas em nossas vidas como se fossem bichinhos de estimação, então pecamos hoje, depois de um tempo de novo, entramos então em ciclos viciosos de pecados.
Temos que nos alimentar do pão da vida e não daquilo que nos faz mal, pois se entramos nesses ciclos corremos o perigo de deixar raízes de amargura brotar em nós e nos apartarem da graça de DEUS.
(Hb 12.15)

Igreja do pr. Wanderley em Bambuí/MG